O australiano Mick Fanning, 30 anos, voltou a badalar o sino da vitória no Rip Curl Pro na decisão contra o onze vezes campeão mundial Kelly Slater, 40, em Bells Beach. O título valeu 10.000 pontos que o levaram do 13º para o terceiro lugar no ranking do ASP World Tour 2012. Com a passagem para a final, Slater assumiu a liderança e Adriano de Souza permaneceu em segundo na classificação geral das duas etapas realizadas na Austrália. A próxima é o Billabong Rio Pro no Brasil, entre os dias 9 e 20 de maio na capital do Rio de Janeiro.

A sexta-feira de boas ondas de 3 a 5 pés foi o dia da vingança para Mick Fanning. Era a terceira vez consecutiva que ele decidia o título do campeonato mais antigo do ASP World Tour. Em 2010 perdeu para o próprio Slater e no ano passado para o seu grande amigo Joel Parkinson, que ele derrotou nas semifinais. Para muitos, esta final foi considerada como uma das melhores dos 51 anos de história do Rip Curl Pro.

O australiano venceu o evento em 2001 e largou na frente com nota 9.10, usando a força nas manobras para jogar muita água em uma boa onda finalizada com um aéreo. Em seguida, pega outra direita da série e consegue um 8.60 para botar uma vantagem de mais de 10 pontos, o que no surfe é como uma goleada no futebol. Mas, Slater é Slater e sai da “combination” com uma nota 10, em um aéreo rodando incrível, muito alto, no “pocket” da onda, fantástico.

Não demora muito e Kelly acha outra direita boa abrindo a parede para desfilar seu arsenal de manobras modernas e virar o placar com uma nota 8.07. Só que Mick Fanning não se abala e com escolha impecável pega mais uma onda da série e aplica uma série de batidas e rasgadas abrindo grandes leques de água para retomar a ponta com uma nota 9.70. Usando o aéreo como principal arma, Slater quase consegue a virada fatal na onda seguinte, mas os juízes repetiram a nota 8.07 e ele precisava de 8.80 pontos. Ainda lutou até o fim, mas não conseguiu mudar o resultado de 18.80 a 18.07 pontos.

“Foi incrível, estou muito feliz. Quando o Kelly (Slater) fez o 10, eu pensei: oh, aqui vamos nós de novo. Mas, tentei me manter calmo para pegar outra onda boa e estou amarradão que tudo valeu a pena. Estou realmente sem palavras porque foi uma final muito intensa. A multidão foi incrível lotando este anfiteatro e estou muito feliz por ter conseguido vencer de novo este evento fantástico”, comemora Mick Fanning.

Mick Fanning, Rip Curl Pro 2012, Bells Beach, Austrália. Foto: © ASP / Kirstin.

Mick Fanning mantém a paciência e foca na escolha perfeita de ondas. Foto: © ASP / Kirstin.

“Eu sabia que o Mick (Fanning) não ia perder a paciência por nada. Ele começou bem, então eu pensei em mandar um aéreo grande, mas não foi suficiente. Foi tudo muito emocionante para mim. Mesmo quando ele teve o 9 e o 8, eu sentia que algo de bom ia vir para mim. Mas, também sabia que ia ser um pouco difícil a luta com as ondas lá fora, com os grandes intervalos entre as séries, as longas calmarias, mas é assim mesmo”, destaca Kelly Slater, depois de ver a vitória escapar mesmo com uma nota 10 na bateria.

Kelly Slater, Rip Curl Pro 2012, Bells Beach, Austrália. Foto: © ASP / Kirstin.

Kelly Slater completa este aéreo bizarro, mas nem assim consegue a virada. Foto: © ASP / Kirstin.

“Eu disse para o Mick (Fanning) que ele tinha que tocar o sino. Ele me bateu e esperava que fizesse o mesmo com o Kelly (Slater). Ninguém merecia mais a vitória do que ele. Ele chegou perto tantas vezes , que eu não conseguia pensar em um fim mais apropriado para o dia de hoje (sexta-feira) aqui”, diz o defensor do título, Joel Parkinson, 30 anos, que foi barrado por Mick Fanning na semifinal e queria ver o amigo vencer o campeonato.

Mineirinho vice-líder – Adriano de Souza chegou a liderar o ranking por um dia, após a eliminação de Taj Burrow na terceira fase na quinta-feira. Ele acabou derrotado em uma disputa acirrada com o australiano-voador Josh Kerr, que acertou um aéreo rodando muito alto nota 9.73, que fez a diferença no placar de 17.40 a 15.36 pontos. Mineirinho terminou em nono lugar no Rip Curl Pro, marcou 4.000 pontos e quatro surfistas poderiam lhe tirar a dianteira na corrida pelo título mundial da temporada.

O próprio Josh Kerr e o sul-africano Jordy Smith conseguiriam isso se passassem para as semifinais. Mas, Kerr perdeu para Kelly Slater e Smith para Joel Parkinson nas quartas de final. Então, Slater e Parkinson assumiriam a ponta se chegassem na final, com os dois podendo até decidir o primeiro lugar na última bateria do campeonato. Kelly conseguiu isso, graças a uma interferência assinalada para o francês Jeremy Flores, que venceria a bateria não fosse a penalidade. Já Joel Parkinson foi batido na outra semifinal pelo campeão Mick Fanning.

Billabong Rio Pro – Depois da longa “perna australiana” iniciada em fevereiro, as atenções agora voltam-se para o Brasil, que vai sediar o terceiro desafio do ASP World Tour 2012 entre os dias 9 e 20 de maio na capital do Rio de Janeiro. O Billabong Rio Pro vai oferecer a maior premiação da temporada – US$ 500 mil para a categoria masculina e US$ 120 mil para a feminina – e o palco principal será montado novamente na Barra da Tijuca, mas outras duas locações ficarão preparadas para receber o evento na Praia do Arpoador e no canto do Recreio dos Bandeirantes.

 

Confira o melhor do evento nos vídeos a seguir.

Último dia – finais:

Terceiro dia:

Segundo dia:

Primeiro dia:

Rip Curl Pro 2012

Resultado

1 Mick Fanning (AUS)
2 Kelly Slater (EUA)
3 Jeremy Flores (FRA)
3 Joel Parkinson (AUS)
5 Josh Kerr (AUS)
5 Owen Wright (AUS)
5 Kai Otton (AUS)
5 Jordy Smith (AFR)
9 Adriano de Souza (BRA)
9 John John Florence (HAW)
9 Brett Simpson (EUA)
9 CJ Hobgood (EUA)
13 Raoni Monteiro (BRA)
13 Gabriel Medina (BRA)
13 Jadson André (BRA)
25 Alejo Muniz (BRA)
25 Heitor Alves (BRA)
25 Miguel Pupo (BRA)

Ranking do ASP World Title Race 2012 – 2 etapas

1 Kelly Slater (EUA) – 13.200 pontos
2 Adriano de Souza (BRA) – 12.000
3 Taj Burrow (AUS) – 11.750
3 Mick Fanning (AUS) – 11.750
5 Joel Parkinson (AUS) – 11.700
5 Jordy Smith (AFR) – 11.700
5 Josh Kerr (AUS) – 11.700
8 Owen Wright (AUS) – 10.400
9 Jeremy Flores (FRA) – 8.250
10 John John Florence (HAV) – 5.750
13 Heitor Alves (BRA) – 4.500 pontos
13 Miguel Pupo (BRA) – 4.500
19 Raoni Monteiro (BRA) – 3.500
25 Gabriel Medina (BRA) – 2.250
25 Jadson André (BRA) – 2.250
32 Alejo Muniz (BRA) – 1.000